Fazendo a visita guiada ao Congresso Nacional

O Congresso Nacional é a casa do povo. Sede da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, é o local onde os representantes escolhidos pela população discutem e aprovam as leis que regem o dia-a-dia de todos os brasileiros.

Não bastasse a importância política para o país, o Congresso ainda fica localizado em um dos incríveis prédios projetados pelo arquiteto por Oscar Niemayer para abrigar os órgãos do Governo Federal, com paisagismo feito por Burle Marx e localizado no Plano Piloto de Brasília criado pelo urbanista Lúcio Costa.

Em nossa viagem a Brasília, fizemos o passeio guiado pelas instalações do Congresso Nacional. É um passeio bem bacana, que explica o funcionamento das instituições do país e ainda dá ao visitante a oportunidade de conhecer obras de importantes artistas brasileiros.

A visita guiada pelo Congresso é gratuita. Elas acontecem todos os dias, mesmo em feriados, das 9h30 às 17h. Às terças e quartas, somente grupos agendados com antecedência são atendidos. Em dias de trabalho parlamentar, não é permitida a entrada de visitantes trajando shorts, bermudas, camisetas sem manga ou chinelos. Também não pode tirar fotos das sessões nos Plenários. Todas estas restrições, porém, estão liberadas quando não há atividade no local, ou seja, aos fins de semana e feriados.

A entrada de visitantes do Congresso Nacional é feita pelo Salão Negro, onde há um centro de informações que nos encaminhou ao local de início do tour. A visita guiada começa com a exibição de um vídeo que conta um pouco sobre a história da construção de Brasília e do Congresso Nacional. Dura cerca de 10 minutos.

O passeio pelas instalações começa pelo Salão Verde. O espaço é enorme e repleto de obras de arte. Chamam a atenção um enorme painel de Di Cavalcanti, a escultura de anjo de Alfredo Ceschiatti e o painel de azulejos de Athos Bulcão em perfeita integração com o jardim interno projetado por Burle Marx.

Lá há um painel com fotos de todos os presidentes da Câmara dos Deputados, desde os tempos do Império até hoje. Nomes importantes de nossa história, como José Bonifácio e Ulysses Guimarães, estão por lá. O local ainda abriga maquetes do Congresso Nacional e uma galeria de presentes recebidos durante visitas de chefes de Estado ao Brasil. O acervo conta com 140 objetos de 60 países.

Em seguida, fomos levados até o gabinete do presidente da Câmara, que tem uma incrível vista para a Praça dos Três Poderes.

O passeio pela Câmara dos Deputados, como não poderia ser diferente, termina com uma visita ao plenário. E é impossível não se impressionar ao entrar no local onde nossos representantes decidem (ou deveriam decidir) as questões de relevância para a vida dos brasileiros.

Para quem está familiarizado com o prédio do Congresso, o plenário da Câmara dos Deputados fica embaixo da parte do semicírculo virado para baixo. Curiosamente, não há assentos fixos nem cadeiras para todos os deputados. Isto porque são 396 cadeiras para 513 parlamentares. Como não era dia de sessão, vivemos um “dia de deputado” e ocupamos as bancadas durante as explicações do guia.

A parte seguinte do passeio ocorre pelas instalações do Senado. O tour parte para o chamado Túnel do Tempo, que liga o edifício principal a um prédio anexo. Ali há uma exposição permanente com painéis que contam a história do Senado. No final deste corredor está o chamado ‘Plenarinho’, com móveis do tempo em que a sede ficava localizada no Rio de Janeiro.

De volta ao Palácio do Congresso, a parada seguinte é o Salão Azul, que apresenta as bandeiras das 27 unidades federativas.

Por fim, o passeio passa pelo plenário do Senado Federal. Ele fica localizado no prédio do Congresso bem abaixo do semicírculo virado para cima. Lá os 81 senadores têm assentos fixos, localizados em ordem alfabética de acordo com suas unidades federativas. Ao contrário da Câmara, não pudemos sentar nas cadeiras dos senadores durante as explicações. Ainda assim, pudemos apreciar o impressionante teto e os desenhos feitos no carpete azul.

O teto é mais uma obra de arte de Athos Bulcão, e ajuda na iluminação do plenário. Já os desenhos no carpete são feitos por um funcionário da casa.

O passeio termina na chamada chapelaria do Congresso, local por onde os parlamentares costumam entrar ao chegarem de carro. Lá você recebe um cartão postal e pode envia-lo gratuitamente a qualquer lugar do país.

Os visitantes ainda ficam livres para visitar o Salão Nobre, onde está localizado o Museu do Senado. O local traz fotos de todos os presidentes da casa e ainda abriga móveis utilizados na antiga sede no Rio de Janeiro.

Conclusão: Vale a visita! Admito que a visita ao Congresso Nacional me surpreendeu. O prédio é impressionante e conta com diversas obras de importantes artistas brasileiros. Entrar no Plenário e sentar nas cadeiras dos parlamentares é uma experiência bem bacana, que traz à mente a importância de escolher bem seus representantes.

Em resumo, é um passeio divertido e informativo, que deveria ser feito por todos que tiverem a oportunidade de ir a Brasília. E ainda é possível aproveitar o restante do dia para visitar o Palácio do Planalto, sede do Poder Executivo, e o Supremo Tribunal Federal, sede do Judiciário, que também ficam localizados na Praça dos Três Poderes. E você, já visitou o Congresso Nacional? Foi a outros lugares em Brasília? Comente abaixo e conte para nós!

POSTS RECENTES:
PROCURE POR TAGS:

© Copyright 2014 VIAJEI E GOSTEI - Todos os direitos reservados

  • Facebook Limpa
  • Twitter limpa
  • Instagram Limpa
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now